terça-feira, 30 de novembro de 2010

Clarifiquemos.


O meu amor é estúpido como um penico cor-de-rosa
É uma paixão que, para além de ser platónica,
É internáutica.




Para que não haja falsas atribuições, a moça é da minha idade.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Dia 1

Já comecei a pensar menos em ti!
Estou disposto a fazê-lo, 
Até porque não
Vou a lado
nenhum
assim.


E espero que vejas isto, comentes, e que sejas sincera.

(até a escrever já estou a deixar de pensar. Espero eu.)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Vou-te fazer um convite

Olha, vou-te fazer um convite
É simples

Vou-te convidar a saíres da minha vida.
Aceitas?

terça-feira, 23 de novembro de 2010

E há coisas que estão, pura e simplesmente, fora do nosso alcance... 
O primeiro passo é assumir. O segundo deverá ser aceitar, não?

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

E se Platão não tivesse existido, será que haveriam amores platónicos na mesma?

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Viseu, 26 de Novembro de 1932

O rapaz subia a rua direita aos saltos. Corria como quem dança, rodopiando sobre si mesmo. Estava feliz.
Estávamos no outono, e começava a ficar frio. Ele dirigia-se para o Rossio. E basicamente é isso porque me dói a cabeça, desculpem. Depois termino.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Vá!

"Ela já te disse que sim!"
"Não, ela disse que talvez."
"Não, desculpa, se ela disse aquilo, então disse que sim."
"Não disse nada que sim, Rafa!"
"Está bem, Guilhas, tu é que sabes..."
(Pausa)
"Também não quero estar a ser chato. Sei admitir quando perco, e ela não gosta mim."
"Oh! Tu até agora não perdeste nada, só ganhaste. E ela gosta de ti."
"Não me parece."
"Tu lá sabes."
"Rafa, ela dá mais a entender que não gosta, do que que gosta?"
"Hã?"
"Oh! Tu não percebes nada disto!"
"Não! Tu falas, falas e não te vejo a fazer nada. Pões-te a dizer para e fazer isto e aquilo mas não te vejo a mexer."
"É diferente, Rafa."
"Pois é. Tu estás em melhor posição."
"Não. Tu estavas em melhor posição, oportunidades não te faltaram."
"Olha Guilherme. Lá por achares que perdeste, não quer dizer que desistas."
"Não é bem assim..."
"É, é. Imagina que te corre mal um teste, tiras nega, desistes ou tentar subir a nota?"
"Estás a compará-la à escola?"
"Podia, mas não estou. Estou a compará-la a tudo." (tempo) "E tu tiveste a oportunidade ontem!"
"Qual oportunidade? Achas que vou ter com ela (e com as amigas) e dizer, olha, sou o Guilherme... Gostava de te conhecer melhor?!"
"E não foi isso que me disseste?"
"Olha, Rafa, estou farto desta conversa de merda!"
(Rafa ri-se)
"Andas a ficar muito asneirento!"
"Oh!"
"Eh-eh. Está bem... Olha, Guilherme, acho que devias arriscar. Ela já te deu uma resposta e tudo!"
"Rafa? Cala-te!"
"Sabes o que é que vais fazer? Vais chegar a casa, pegar no rato e voltas ao site e combinas lá aquilo com ela."
(Chegámos ao cruzamento, e portanto, ao final da viagem. Agora cada um ia para seu lado.)
"Eu acho que a vou é deixar em paz. Ela naturalmente gosta de outra pessoa!"

(Rafa acena com a cabeça)

"Tu lá sabes!"

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Tenho a impressão...

(ok.. só mais um)

Parece-me que o ser humano é injusto
Quando tem alguma coisa garantida
Perde o interesse.

E acho que está mal.
Tenho pena.

E é só.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Ufa!

Ufa!

Estava a ver que deprimia!
Mas não tenham ideias erradas, que não houve qualquer evolução
Quanto à moça!
Fico triste, mas pronto.

Bem, 
Ufa porquê?
Porque o Graeme ligou.
Ora Graeme ligar = PANOS
Assim sendo
PANOS + tempo = Menos tempo a pensar na moça.

(refiro-me sempre a ela como moça, se usar rapariga é outra pessoa. Acho que pode facilitar)
Ainda não tive muito tempo
Visto que foi fim-de-semana prolongado.
Mas ainda tentei pela net
como podia.

Talvez uma abordagem ao vivo
no Liceu, não acham?

Sim.
Mas agora estou contente/feliz
porque já tenho com que ocupar a cabeça.

(obrigado Graeme)

E o meu problema é diferente 
(já o diagnostiquei)
E é um ponto fraco meu.

(Bolas!)

E foi isto.
Agora vou-me embora.

Inté!


(Provavelmente, quando voltar vou regressar à ficção.)