sábado, 8 de janeiro de 2011

Olá

Na vida gosto de me dedicar a algo quando sei que posso tirar de algo algum proveito. Gosto de ter algumas garantias, ou pelo menos pseudo-garantias. Porque assim sei que vale a pena apostar porque a probabilidade de fracassar é menor. Pode não ser a filosofia de vida mais correcta, mas olha, o senhor Wilde tinha uma definição de artista com a qual não concordo, o que demonstra que não há verdades absolutas, e ainda bem. Sei que gosto de ti. Bem, não havendo essas verdades comuns a todos, acho que gosto de ti. O que é bom, quer dizer que ainda não perdi a cabeça por ti. Ainda não te amo. (ou não)
Mas, se quiseres ser querida, como eu sei que vez o blogue, deixa um comentário em anónimo, se te sentires mais segura, dizendo "sim", se vale a pena apostar, ou "não", se não sou merecedor do teu amor.

 Por favor.

E com este acto de desespero, posso concluir que te amo.

37 comentários:

  1. Como é que eu hei-de ter a certeza que isso é para a minha pessoa?! Eu até deixava uma resposta, mas é melhor não. De qualquer modo gostei dessa declaração, ou melhor pseudo-acto de desespero. Muito bonito :)

    ResponderEliminar
  2. Isto é um bocadinho de batota, Guilhas. Se gostas mesmo dela, tens de arriscar :)

    ResponderEliminar
  3. Se fores tu, reconhecerás algumas palavras no texto. eheh

    Tens toda a razão Inês...

    ResponderEliminar
  4. Temes por desconhecer a resposta de um coração, com certeza apesar de ser uma pseudo-declaração até que engraçada e que passa bem o que sentes, porque não a fazes de uma forma menos impessoal, obterás a mesma resposta , não deixes que o medo prenda ou atrase as soluções dos problemas em que colocas esse coraçãozinho, força nisso poeta.
    Beijinho, Mafalda Furtado

    ResponderEliminar
  5. Acho estranha a tua maneira de amar. :S
    Dizes que não sabes se amas, mas apenas por fazeres este "acto de desespero" chegas à conclusão que é amor que sentes...

    Talvez seja melhor refazeres a tua ideia de amar. Luta pelo amor e pela vontade de seres amado.Não estejas à espera que seja alguém a abrir a porta, como que a dar permissão para amares. É o que eu penso... talvez esteja enganado/a..

    Ou não!

    ResponderEliminar
  6. Sim senhor, que bonitos comentários aqui estão... concordo especialmente com este último anónimo: " Não estejas à espera que seja alguém a abrir a porta"! Luta pelo que sentes!

    ResponderEliminar
  7. Sim, também concordo com o Anónimo das 13:47.
    É estranha esta maneira de amar, porque pode não ser amor. Bem, e porque possivelmente eu também sou estranho...

    ResponderEliminar
  8. Só para confirmar: a rapariga de que estás a falar é a mesma de quem falaste em novembro e em dezembro do ano passado, certo?

    Se é, porque é que ainda não falaste com ela, uma conversa seria, sobre o que sentes?

    ResponderEliminar
  9. Sim, é. Uma conversa servia, falta conversar.

    ResponderEliminar
  10. "É estranha esta maneira de amar, porque pode não ser amor. Bem, e porque possivelmente eu também sou estranho... "


    Estás mesmo perdido! Talvez falte a tal conversa séria que o último anónimo disse. Estás à espera de quê??! Afinal quem é que veste as calças aqui?

    A meu ver, só existe uma maneira de amar: tendo amor. Não compreendo essa tua insegurança, essa tua incerteza. Mas talvez não seja para compreender! De qualquer das maneiras, digo e repito: vai à luta e não estejas à espera que a papinha apareça feita! Boa sorte!!


    Anónimo das 13:47

    ResponderEliminar
  11. Ahahah
    Muito sábio este nosso anónimo, obrigado pelas dicas!
    Já agora, e citando um grande nome da literatura nacional, "Quem és tu, anónimo das 13:47?" xD

    ResponderEliminar
  12. Se dissesse, deixava de ser anónimo! E acho que o nome me acenta bem: "Anónimo das 13:47"!
    Não concordas? :O


    Anónimo das 13:47

    ResponderEliminar
  13. Opah.. É só porque suspeito saber quem és! xD

    ResponderEliminar
  14. UIII!
    Diz. Agora gostava de saber... Se quiseres depois eliminas o comentário. Pode ser?


    Anónimo das 13:47

    ResponderEliminar
  15. Digo-te amanhã no liceu! ;)
    Digo só que acho que és do sexo masculino.

    ResponderEliminar
  16. Como ja deves ter percebido, eu não sou quem pensavas que era.
    Mas disseste masculino... Por alguma razão em especial? Tenho uma maneira de escrever tipicamente masculina?

    ResponderEliminar
  17. Sim, fizste-me lembrar um amigo meu a escrever dessa maneira. Porquê, errei?

    ResponderEliminar
  18. Erraste :P
    Mas deixa de lado as tentativas de adivinhares quem sou... se fazes favor!

    Já agora, gostei do teu último post. :)


    Anónima das 13:47

    ResponderEliminar
  19. Gostaste? Obrigado, mas foi por alguma razão em particular? x)

    ResponderEliminar
  20. Acho que não. Simplesmente o acho bonito e porque percebi que já falaste com ela!


    Anónima das 13:47

    ResponderEliminar
  21. Pois... Então obrigado. Na realidade eu tenho uma tendência para complicar as coisas mais simples. Mas em relação a isso prefiro não falar aqui, seria indelicado da minha parte e para comigo expor aqui os meus problemas.
    Deves compreender que é uma tentação saber quem és, ou pelo menos se te conheço, ou até se realmente és rapariga. Podia-te desafiar a dizeres a primeira letra do teu nome, ou a idade, mas deixo isso ao teu critério. ;)

    ResponderEliminar
  22. :)

    Bem, eu sou mesmo uma rapariga (quanto a isso não tenhas a menor dúvida :P) agora a primeira letra do nome, não creio que seja necessário, até porque garanto-te que não chegavas lá por causa dela. A idade é simples: é a mesma que a tua!


    Anónima das 13:47

    ResponderEliminar
  23. "Na realidade eu tenho uma tendência para complicar as coisas mais simples."


    Já tinha percebido isso :P
    Tu, provavelmente, pensas demais sobre as coisas. Tenta deixar-te levar pelo instinto. Às vezes corre bem... (e quando não correr bem, paciência, serviu para ganhares alguma experiência!)


    Anónima das 13:47

    ResponderEliminar
  24. Obrigado Anónima.

    E o que te leva a pensar que não és tu? xD

    ResponderEliminar
  25. Porque 1º- não me conheces bem.
    2º- não falas muito comigo.
    3º- é a primeira vez que falo contigo pela net.
    4º- acho que não reconheci nada no teu texto.

    Já são razões suficientes, não?
    :P



    Anónima das 13:47

    ResponderEliminar
  26. Nao falo muito contigo? oh! Mas andas no liceu? É que ainda podemos vir a ser grandes amigos!! xD

    ResponderEliminar
  27. Ando sim senhor!

    :) Quem sabe...

    (Já agora, no último comentário pareci muito fria... foi sem intenção! XD)




    Anónima das 13:47

    ResponderEliminar
  28. Não pareceste fria, não.
    Então, temos de falar, quando me vires diz "banana split"! xD

    ResponderEliminar
  29. AHAHAHAHA Banana Split??? Adoro o gelado :P


    Provavelmente não vou ter coragem... :S
    Eu devo parecer muito diferente do que sou na realidade (Não me estou a conseguir expressar :O)na realidade sou muito introvertida para certas coisas (mas não pareço); esta é uma delas!




    Anónima das 13:47

    ResponderEliminar
  30. Pode ser que um dia destes me nasça a coragem...
    Se eu pensar bem, não tenho motivos para estar tão "medrosa", mas não sei porquê, estou!

    :S


    Anónima das 13:47

    ResponderEliminar
  31. (pus demasiadas vírgulas -.-')

    ResponderEliminar
  32. lol
    Isto é que vai aqui uma confusão, hã? se soubesse quem és era eu que ia falar contigo, nao sei qual é o receio... Vamos lá ver se a coragem nasce esta semana! ;)

    ResponderEliminar
  33. :) Vamos lá ver...
    Correu bem o teste intermédio?


    Anónima das 13:47

    ResponderEliminar
  34. Isto são conversas que se tenham aqui?
    Tu não tens Facebook? x)

    Correu, tu também fizeste?

    ResponderEliminar
  35. Não critiquem este rapaz pela "estranha forma de amar". É poeta e vive a poesia, como tal, esta declaração ou acto de desespera tem tanto ou mais significado do que duas frases pessoalmente. Alguns dos melhores poetas apenas escrevem quando passam por situações dificeis, sejam elas amorosas ou não. E, ainda que virtual é uma declaração muito bonita e corajosa.

    ResponderEliminar
  36. as tantas ele ama mas nao quer amar. Quem sou eu para proferir tal coisa? Que poder é o meu de por palavras na boca de outrem.. anyway, vim aqui porque aconselho-te se vires isto http://www.luso-poemas.net darias um bom companheiro ao pessoal que já la ta ;D think about it

    - M.

    ResponderEliminar